Notícias

MARCA DE LÁCTEOS OPTA POR TRANSPARÊNCIA NAS SUAS EMBALAGENS

 

A Letti (Leite Letti), marca de varejo da Fazenda Agrindus, produtora de leite, entre as maiores do país, apresenta suas novas embalagens transparentes, em PET, totalmente recicláveis, para sua linha de leites e iogurtes líquidos, em tamanho familiar e individual.

O selo da garrafa foi retirado e foi aplicada a tampa com lacre de alumínio e verniz com selante alimentício, que garante a inviolabilidade e simplifica o manuseio para o consumidor final para apenas uma etapa.

A novidade está alinhada ao conceito de transparência, desde a maneira como o rebanho é tratado, até o processo de industrialização dos produtos, realizado a menos de 10 metros da ordenha. “Queremos mostrar nosso produto como ele realmente é, não temos o que esconder. Mostrar o leite branco em uma embalagem transparente nos traz de volta – e oferece àqueles que não conheceram – a experiência e a oportunidade de ter o leite como sempre foi: fresco e entregue da fazenda direto para a casa do consumidor”, ressalta Taís Jank, Costumer Experience da Letti.

“Todos os desenhos das frutas nas novas embalagens de iogurtes são aquarelas pintadas à mão e que são posteriormente digitalizadas”, revela.

As novas embalagens foram desenvolvidas pela fabricante de embalagens plásticas Amcor Packaging. A empresa realizou uma pesquisa que identificou que os consumidores brasileiros estão cada vez mais exigentes e têm preferência por produtos lácteos com embalagens transparentes que permitem visualizar o conteúdo antes de comprar, reconhecendo o seu frescor e qualidade premium.

Transparentes e 100% recicláveis, inclusive o rótulo e a tampa, as novas embalagens preservam todas as características do produto, com prazo de validade de até 15 dias, maior do que qualquer leite fresco do mercado.

“O diferencial desse case consiste na conversão da embalagem do leite fresco da garrafa de HDPE (polietileno de alta densidade) para o PET, garantindo a entrega da solução completa. Neste conceito inovador, a Letti recebe de um único fornecedor, a Amcor, a garrafa, rótulo e tampa. Assim, a marca se beneficia com a maior agilidade e facilidade na negociação e ganha tempo para se dedicar ao controle de qualidade superior em todo o processo”, explica Karina Borin, Diretora de Marketing da Amcor.

“O desafio consistiu em manter o design e transparência do vidro retrô e resgatar a simplicidade e tradição do leite fresco de antigamente”, complementa.

Outra novidade nas embalagens é o selo “VACAS A2A2”, que indica proveniência exclusiva de vacas com genótipo A2A2 para a produção de beta-caseína, sendo indicado para pessoas sensíveis à caseína A1. Primeira marca brasileira a produzir, em escala, o leite e derivados provenientes apenas de vacas A2A2 e também a primeira a receber a certificação, que faz parte do Movimento #BEBAMAISLEITE. O objetivo é valorizar o leite e seus derivados frente a um mercado consumidor cada vez mais exigente.

Para isso, a Letti investiu cerca de 1,5 milhão de reais para a seleção natural do gado. O processo de seleção começou há cerca de dois anos e o processo permite fazer o cruzamento correto, ou mesmo a fertilização in vitro, para que o rebanho lactante seja, até 2021, 100% composto por vacas com o gene A2A2.

Atualmente, 85% das bezerras e 100% dos touros são A2A2 e para manter a certificação são investidos cerca de R$ 200 mil por ano. Hoje, 30% da produção de leite – o equivalente a 25 mil litros – são oriundos do rebanho A2A2 e, em no máximo três anos, serão 50 mil litros diários. Nos últimos 6 meses, a produção saltou de 12 mil litros de leite por dia, para 20 mil litros.

Fonte: Abre